Cultura do “não toqueis no ungido” e seus impactos na igreja e sociedade

0

Como a interpretação realizada por líderes evangélicos de forma equivocada e muitas vezes proposital dos textos bíblicos levando a criação dos jargões “não toqueis no ungido”, “não saia sem a bênção pastoral” e “sujeita-vos a toda autoridade” podem ter formado cidadãos apáticos e desconectados da realidade.

Chamo de equivocada para aqueles que não tinham preparo mínimo (conhecimento da língua portuguesa, básico de hermenêutica e critica textual) para o papel de presbítero, pastor ou bispo, que acabaram dentro de suas limitações interpretando os textos conforme seu grau de instrução, outros porque foram doutrinados por seus antigos pastores e após anos de “ensino” entendem absorveram estes ensinamentos duvidosos como verdade para suas vidas.

Chamo de proposital pelos pastores que estão interpretando incorreta e propositadamente, fazem isso porque uma submissão cega contribui para a perpetuação de sua liderança deixando o povo “em suas mãos”, evitando questionamentos, desconectados da verdade e da realidade.

Uma geração que mesmo após ouvir a verdade e entenderem o que de fato a Bíblia diz ainda tem dificuldade em questionar as aberrações doutrinárias ou desvios de conduta de seus líderes devido ao medo ou receio de uma maldição, de entristecerem a Deus ou de perderem suas bênçãos.

Um Brasil complexo e cheio de traumas de sua evolução desde a chegada dos portugueses e outros povos, evoluindo de uma monarquia, para um coronelismo, que evolui para partidos políticos comandados por coronéis (sob o pretexto da democracia) que escravizavam a mente de seus eleitores com promessas e ameaças. Uma outra parcela da população catequizada pela doutrina católica, que direta ou indiretamente cravou a mensagem de que os líderes são escolhidos por Deus e consequentemente seus atos são divinos, criando uma impressão na mente em relação a todo e qualquer liderança, tornando cidadãos tão reativos e submissos que aceitam tantas condutas inadequadas, roubos, mentiras e até mesmo a criação de organizações criminosas.

Basta observar a quantidade de igrejas ligadas ao crime em São Paulo e no Rio de Janeiro, pastores que aceitam dízimos e ofertas de bandidos declarados, que passam o pano para o pecado destes indivíduos, ou pelas igreja que se tornaram grupos políticos organizados não apenas para criar uma geração de políticos que defendam os interesses da fé cristã, mas para favorecer o interesses de grupos que querem pagar menos impostos, querem obter vantagens ilícitas a partir do dinheiro arrecadado dos alienados de Deus.

Os braços pentecostais e neopentecostais foram e são campos férteis onde a cultura da submissão foi amplamente difundida, com o aumento da divisões dentro destes ministérios criando inúmeras pequenas igrejas independentes tais líderes, para preservar seus mandatos e seus interesses usam e abusam das distorções doutrinárias para subverter seus membros.

Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos.
Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos,
Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons,
Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus,
Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te.
2 Timóteo 3:1-5

“Não toqueis no ungido”

Eu acredito que todo aquele que for injusto com seu irmão e esquecer de praticar o fruto do espírito, este não prosperará, mas o fato de termos a missão de cuidar um dos outros, sermos tardios no falar, evitarmos julgarmos levianamente e praticarmos a comunhão, não é um atestado para que líderes despreparados, gananciosos e mentirosos se aproveitem da igreja.

Ser um pastor, líder, ministro, ter um dom ou exercer qualquer ministério não habilita ninguém a ser livre de julgamento de seus atos, de ter suas palavras avaliadas segundo a palavra, confrontado pela verdade do evangelho. Se qualquer ensinamento destes viera a se colocar entre Deus e igreja, tentar deturpar qualquer ensinamento da palavra, atentar contra os fracos e oprimidos, colocar estes líderes como maiores ou mais merecedores que qualquer outro, tais ensinamentos devem ser combatidos com vigor.

Temos o dever se afastar estes lobos do rebanho do Senhor e preservar a sã doutrina.

Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida.
Desvia de ti a falsidade da boca, e afasta de ti a perversidade dos lábios.
Os teus olhos olhem para a frente, e as tuas pálpebras olhem direto diante de ti.
Pondera a vereda de teus pés, e todos os teus caminhos sejam bem ordenados!
Não declines nem para a direita nem para a esquerda; retira o teu pé do mal.
Provérbios 4:23-27

Assuma uma posição

O cristão precisa ter a palavra como guia, porém com a triste realidade de que a maioria dos brasileiros tem dificuldades em interpretação de texto, um índice de leitura de livros baixo, uma grande dependência de conteúdos prontos entregues pelas tvs e redes sociais, não é de se esperar que não consigam questionar tais doutrinas.

Não é incomum encontrarmos cristãos com uma boa educação e capacidade de interpretação aprisionados em instituições que disseminam interpretações distorcidas e equivocadas, pessoas que pelo hábito ou pelos relacionamentos cultivados ao longo dos anos se submetem dos mais simples equívocos até graves heresias sem conseguir reagir.

Estude e se aprofunde para ter certeza que seu entendimento não seja um equívoco, não é incomum encontrarmos grupos criando divisões dentro de igrejas em que ambos estão baseados em fundamentos equivocados, a disputa não é pela verdade, mas pela conveniência dos líderes destes grupos.

E ele me ensinava e me dizia: Retenha o teu coração as minhas palavras; guarda os meus mandamentos, e vive.
Adquire sabedoria, adquire inteligência, e não te esqueças nem te apartes das palavras da minha boca.
Não a abandones e ela te guardará; ama-a, e ela te protegerá.
A sabedoria é a coisa principal; adquire pois a sabedoria, emprega tudo o que possuis na aquisição de entendimento.
Exalta-a, e ela te exaltará; e, abraçando-a tu, ela te honrará.
Provérbios 4:4-8

Quando falo em reação não estou me referindo a criar uma crise dentro desta ou daquela instituição, mas falo de assumir uma posição clara a respeito do evangelho, se possível levar a questão aos líderes (mesmo que em vão) seguindo a orientação do apóstolo Paulo, com cuidado, com amor buscando orientar mostrando o equívoco, se mesmo assim não estiverem dispostos a mudar o que restará é se afastar destes desvios doutrinários para que não acabe perecendo. Na dúvida procure uma igreja com uma doutrina mais sólida até que tenha condições de se aventurar.

Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos.
Você, porém, seja sóbrio em tudo, suporte os sofrimentos, faça a obra de um evangelista, cumpra plenamente o seu ministério.
2 Timóteo 4:2-5

Muitos buscam o status de adorador com a retórica de que “adorar é um estilo de vida”, para estes eu questiono: Você adora a quem? O Deus que você adora tem parte com o engano, mentira ou meia verdade? Como você pode ser um “verdadeiro adorador” se o que prega, acredita e apoia não é plenamente verdadeiro?

Alguns dizem que sabem separar as coisas e conseguem viver nestes ambientes sem serem contaminados, mas se conformam que novos convertidos ou que os menos esclarecidos sejam levados a acreditar neste equívocos, vendo passivamente pessoas construindo suas vidas cristãs com alicerces frágeis que provavelmente permitirão que se desvivem diante de uma adversidade maior no futuro.

Quem vive segundo a carne tem a mente voltada para o que a carne deseja; mas quem vive de acordo com o Espírito tem a mente voltada para o que o Espírito deseja. A mentalidade da carne é morte, mas a mentalidade do Espírito é vida e paz; a mentalidade da carne é inimiga de Deus porque não se submete à Lei de Deus, nem pode fazê-lo.
Romanos 8:5-7

Clamamos nos cultos para que sejamos luz, para que o Senhor nos use, que a verdade prevaleça, que ele nos mostre onde podemos ser usados por ele, porém nos acovardamos diante do engano pregado. Exerça o ministério de buscar o conhecimento para combater as inverdades pregadas e trazendo a luz a verdade para seus irmãos que ainda não o entendimento necessário para distinguir o engano.

Que o Senhor possa nos iluminar e mostrar através da palavra (com ajuda de um dicionário e umas aulas de interpretação de texto) a sua verdade para que possamos ser luz para os que estão na escuridão do conhecimento.

Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas.
Filipenses 4:8

Impacto na sociedade

Um povo que tem medo de enfrentar seus governantes e submissos é o desejo de todo governante, do bem ao mal intencionado, ninguém quer ser confrontado e questionado o tempo todo. Encontrar uma nação onde uma parcela considerável é formada por religiosos facilmente manipuláveis são o ópio (sonho) de todo político.

Talvez por isso sejamos uma das nações mais pacíficas, vemos nossos políticos roubando e realizando ações das mais bizarras possíveis sem uma reação a altura, em outras nações o povo iria para a rua por problemas bem menores do que enfrentamos. Estamos cauterizados e habituados a aceitar as decisões dos líderes.

Se os líderes de nossas igrejas fossem melhores preparados e nossos irmãos instruídos corretamente, certamente poderíamos participar mais do cenário social e político, não aceitando que líderes despreparados estivessem a frente de uma nação deste tamanho. Teríamos um povo mais indignado e disposto a mudar frente aos tantos roubos e desvios de conduta de nossos políticos.

Que o Senhor tenha piedade de nossos irmãos na fé e de nossa nação.