A quem pertence está Cultura do Reino? (Série Cultura do Reino – 02)

2

Série Cultura do Reino

02 – A quem pertence está Cultura do Reino?

Nesta série de artigos vamos abordar os aspectos que abrangem a Cultura do Reino, assumindo os ensinamentos de Cristo como referência para definir esta cultura, evitando trazer vícios e influências externas. Se você tem dúvida do que é viver segundo o Reino, o que Cristo nos ensinou sobre este reino e o que ele espera de nós no plano terrestre, esperamos trazer as respostas ao longo da série.

Neste segundo artigo vamos compreender a quem pertence este reino, esta “Cultura do Reino”, quem pode reivindicar o direito de participar deste reino.

Qualquer pessoa ou qualquer que se identifique com a igreja moderna pode dizer que vive a Cultura do Reino?

Frequentar um templo religioso, cumprir com as rotinas e obrigações impostas por suas lideranças, ir na escola bíblica, na célula, fazer parte de um “ministério/departamento”, nada disso define quem faz parte ou vive a Cultura do Reino.

Em todas as reuniões de adoração e louvor você sente aquele arrepio? Até fala em “línguas”? Isso também não quer dizer nada, não te qualifica como um Cristão autêntico.

Você pode nascer na Alemanha, mas se você vive, come, se veste, fala e pensa como um Italiano, ninguém irá te reconhecer como um Alemão.

Se você não entender o evangelho de Cristo, seus ensinamentos, crer e viver estes ensinamentos, você será mais um no meio da multidão de crentes alienados, que acham que estão em Cristo, mas no fundo vivem seus próprios evangelhos, em busca de doutrinas que satisfaçam suas necessidades, suas carências.

Eu até gostaria de poder dizer para você fazer uma declaração profética, repetir umas palavras mágicas ou usar algum amuleto para garantir sua salvação e fazer parte deste Reino aqui na terra e nos céus, mas isso não é possível, aqueles que fazem parte deste Reino estão sujeitos a viver segundo suas regras.

Quem pode e deve fazer parte desta cultura?

Algumas pessoas se identificam com Jesus e seus ensinamentos, mas não vivem na sua totalidade, não estão comprometidos com esta busca constante em imitar os passos do mestre.

Os textos bíblicos que expõe os ensinamentos de Cristo não dão muita margem para interpretações genéricas, abertura para que qualquer um possa se incluir, deixando muito claro a quem pertence este reino, ou seja, quem pode reivindicar sua participação no reino:

  • Aos que crerem
  • Aos que forem batizados
  • Aos que amam a Deus e ao próximo como a si mesmo

Os nascidos novamente em Cristo, aqueles que abandonarem o velho homem e abrirem seus corações, aceitarem o evangelho de Cristo, crendo que ele é o Salvador, o único mediador entre o Homem e Deus.

Em resposta, Jesus declarou: “Digo a verdade: Ninguém pode ver o Reino de Deus, se não nascer de novo”.}
João 3:3

Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.
Marcos 16:16

Nota: O batismo simboliza o ápice do arrependimento, é o enterrar o velho homem, mostrando que a obra do Espírito Santo foi realizada e dando espaço para que o Espírito Santo implante os fundamento da Cultura do Reino em seu coração.

Bem-aventurados os pobres em espírito, pois deles é o Reino dos céus.
Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, pois deles é o Reino dos céus.
Mateus 5:3,10

15 O povo também estava trazendo criancinhas para que Jesus tocasse nelas. Ao verem isto, os discípulos repreendiam os que as tinham trazido.
16 Mas Jesus chamou a si as crianças e disse: “Deixem vir a mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino de Deus pertence aos que são semelhantes a elas.
17 Digo-lhes a verdade: Quem não receber o Reino de Deus como uma criança, nunca entrará nele”.
Lucas 18

Quem não pode fazer parte do reino?

As portas do reino estão abertas para todos aqueles que querem fazer parte, mas isso não quer dizer que todo aquele que frequenta uma igreja, que participa da célula ou departamento é automaticamente eleito e faz parte do reino.

Ainda vamos explorar todos os aspectos da Cultura do Reino nos demais artigos da série, mas abordaremos aqui as principais características daqueles que não farão parte do Reino.

Se temos como principais fundamentos do evangelho o “Amar a Deus sobre todas as coisas” e “Amar ao próximo como a si mesmo”, entendemos todo aquele não amar a Deus e não amar ao próximo, não são reconhecidos como parte do Reino.

Jesus inclui também na lista aqueles que não dão frutos ou não dão bons frutos, ou seja, que não possuem uma conduta adequada, que não respeitam os princípios bíblicos.

20 Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.
21 Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.
22 Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas?
23 E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade.
Mateus 7:20-23

Paulo reúne as características daqueles que não fazem parte do Reino, fazendo o contraponto com o fruto do Espírito.

16 Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne.
17 Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis.
18 Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei.
19 Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, fornicação, impureza, lascívia,
20 Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias,
21 Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.
Gálatas 5:16-21

Se observar as obras da carne remetem a ações que vão contra, que nos afastam do “Amar a Deus” e “Amar ao próximo” (abaixo), algumas nos afastando mais de um e outras nos afastando dos dois:

  • Amar a Deus: Idolatria, feitiçaria, impureza, lascívia, iras, heresias;
  • Amar ao próximo: adultério, fornicação, lascívia, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices;
  • Amar a si mesmo: impureza, lascívia, bebedices, glutonarias;

Ampliando a visão

Ao avançar com com os artigos da série, vamos ampliando nossa visão do Reino de Deus e das diretrizes e ensinamentos de Jesus.

Entendemos que o Reino de Deus é para todos por intermédio da Graça, do favor imerecido ofertado por Cristo na cruz, ao mesmo tempo em que nem todos conseguirão permanecer neste reino, pois ao confrontar cada indivíduo que está dentro de nossas igrejas com o evangelho puro e simples, veremos que ele não é atrativo o suficiente para suas ambições, o evangelho é cheio de prioridades acima do meu “eu”.

Muitos acreditam estar no reino de Deus ao adotar os usos e costumes, as doutrinas, dogmas ofertados pelas igrejas, mas no fundo, infelizmente, o Reino de Deus não está em seus corações, pois desconhecem o evangelho de Cristo, e assustadoramente, muitos rejeitam uma grande parte deste ensinamentos.

Quais conhecimentos, artes, crenças, leis, moral, hábitos e costumes foram ensinados por Cristo?

Esta é uma série, para não ficar uma leitura cansativa, vamos trabalhar este tema em vários artigos.

Vamos começar a abrir os principais ensinamentos de Cristo, que deixaram referências para sabermos como viver de acordo com o seu Reino aqui na terra.

Continua…