As pesquisas continuaram desde o primeiro artigo sobre a história do worship, o desejo era trazer em algum momento uma linha do tempo das principais influências nacionais e internacionais, mostrando a evolução e o período em que cada ministério exerceu maior influência sobre os ministérios de louvor das igrejas locais. O termo worship neste artigo entenda como louvor ou serviço de música para a igreja local, estamos falando sobre as influências que moldaram o louvor nas congregações.

Gerações do Worship

Como não temos uma literatura padronizada a respeito das gerações do worship ou um consenso para os período e como chamá-los, trago a sugestão deste autor para a separação dos períodos e gerações.

Para não complicar demais as análises e atrasar ainda mais a publicação deste artigo, vamos nos concentrar no período após 1970, sendo quando de fato começa-se a moldar o worship moderno.

Não posso deixar de destacar o período entre 1906 a 1950, período em que o movimento da rua Azusa começa a moldar os novos segmentos evangélicos e consequentemente a música usada nos cultos, contudo a evolução foi lenta, havendo poucas mudanças significativas, a mudança começa a partir da popularização dos instrumentos elétricos e equipamentos valvulados entrando em um período de transição e experimentação entre 1950 e 1970 em todos os segmentos, sejam evangélicos ou não evangélicos, onde vemos uma consolidação dos estilos e linhas musicais por volta de 1970.

Após este período proponho a seguinte divisão:

  • Louvor Congregacional – Neste período o papel do ministro de louvor não estava bem definido como um ministrante, havia uma pessoal com o papel de regente ou guita, que servia como ponto de apoio para a igreja, coral, vocais ou conjunto. Os músicos trabalhavam para acompanhar e dar apoio a igreja. As introduções, passagens, solos e finalizações eram modestas, a participação da congregação no canto era o foco das preocupações. Os arranjos e a organização harmônica era por vez imatura, desprovida da pretensão de chamar a atenção. É importante ressaltar que paralelamente haviam grupos e bandas que tinham um propósito diferente, que não tinham o foco no louvor congregacional, que evoluíram musicalmente e trabalhavam de forma profissional. O louvor congregacional moderno começa a se consolidar nos anos 70s e se fortalece nos anos 80s, até hoje encontramos igrejas adeptas desta linha, mas se tornam cada vez mais raras.
  • Worship moderno – O worship moderno é fruto em especial da popularização das igrejas carismáticas / pentecostais, que buscam uma experiência emocional e espiritual em suas celebrações, se afastando da visão de que em um culto racional é necessário estar distantes das emoções, sem uma interação mais emocional entre os ministros e ministrados. Independente da crença de que é certo ou errado o caminho adotado, vimos um crescimento acelerado desta linha, tendo no final dos anos 90s o nascimento dos primeiros ministérios e com o advento da internet uma rápida expansão, conforme o acesso à internet foi se popularizando mais congregações / igrejas locais passaram a adotar este estilo. Considerando nossa linha do tempo até 2022, dividimos o worship em três gerações que abaixo iremos detalhar como entendemos a separação. É importante ressaltar que a mudança de geração não ocorre de forma abrupta, existe a convivência das gerações mesmo com as novas se destacando.
  • Worship de 1ª Geração – É a evolução do louvor congregacional com a reformulação do papel do ministro do louvor, que agora assume um papel de protagonista no período de louvor, deixando de apenas anunciar a próxima música para ter a liberdade de falar para ao público a repeito da música, sobre experiências, fazer referências ou analogias ao texto bíblico e a realizar declarações positivas para a igreja. No âmbito musical passamos a ter a música não apenas como um acompanhamento, ela assume o papel como ferramenta que atua diretamente sobre o emocional e espiritual da igreja, passando a permitir linhas harmônicas mais emocionais, introduções, solos, arranjos e transições mais elaboradas, criando uma identidade musical para a música, permitindo se reconhecer uma música apenas pelo seu arranjo. Neste período os teclados ganham espaço como a principal ferramenta para apoiar no impacto emocional.

Na primeira geração tivemos alguns movimentos paralelos de adoração espontânea e extravagante que se destacavam por períodos longos de improvisos, repetições e espontâneos, contudo não foi um movimento que conseguiu abranger todas as diferentes denominações, tendo uma atuação mais significativa no movimento de comunidades.

  • Worship de 2ª Geração – A segunda geração avança com o papel do ministro dando a ele espaço para improvisar e a realizar o que chamamos de espontâneos, que são improvisos vocais cantados, onde o ministro deixa de seguir a letra da música e pode criar estrofes e adicionar a música sem o compromisso do acompanhamento da igreja, com o papel de ouvir ou pode também improvisar cantando ou orando. Os improvisos são mais curtos e podem estar conectados com as ministrações tipicas da primeira geração. Na música temos o aparecimento de elementos como os pads contínuos (clique aqui para saber mais), o uso intenso dos reverbs como os shimmers e a presença marcante das guitarras, que assumem a posição de destaque no lugar dos teclados. Na segunda geração temos a base do que chamamos de worship music moderno.
  • Worship de 3ª Geração – A terceira geração nasce alicerçada nos elementos segunda com o “aprimoramento” dos seus elementos, avançando com espontâneos mais presentes, chegando a surgir novas músicas a partir deles, uso mais intenso de pads, uso de efeitos eletrônicos através dos teclados, sintetizadores e pads / baterias eletrônicas.

Vemos dentro da terceira geração a partir do final de 2020 o surgimento de uma possível nova tendência para o que poderá se tornar a quarta geração, com o aparecimento de um worship com influência do country rock, tendo grupos como Elevation Worship, movimentos como Maverick Worship e similares trazendo a forte presença de elementos deste estilo. Bandas como We The Kingdom e Rend Collective aparecem como prováveis influências para estes ministérios.

Gerações Linha De Até Obsevação
Antes de Cristo / Judaica Salmos e improvisos -3000 29 Música do templo e tabernáculo
Igreja primitiva Salmos e improvisos 30 475 Começam a nascer os primeiros canticos cristãos
Igreja medieval Louvores medievais 476 1492 Canto em latim, música reservada para os clérigos
Igreja moderna Louvores medievais 1492 1789 Músicas classicas e cantos catolicos, começa a introdução de canticos pelas novas lideranças como Lutero
Igreja pré Azusa Louvores clássicos 1790 1905 Começa a nascer a musica ocidental moderna
Igreja pós Azusa Período de transição 1906 1950 Criação dos hinários modernos
Geração Transição (transistor) Período de transição 1950 1970 Periodo de introdução de novos instrumentos eletricos
Geração Tradicional Worship Louvor congregacional 1970 1986 Prioridade para a igreja cantar, banda em segundo plano
Geração Hosanna Music Louvor congregacional 1987 1999 Sem pads, shimmers e poucos ou nenhum espontâneo
Geração Hillsong Worship 1ª geração 2000 2005 Guitarras, teclados e ministrações
Geração Worship Worship 2ª geração 2006 2009 Guitarras, shimmers, pads e espontâneos
Geração Novo Worship Worship 3ª geração 2010 ~ Muitos espontâneos, mais pads e efeitos mais eletronicos

Linha do tempo

Criar uma linha do tempo das influências do worship não é uma tarefa muito fácil, uma vez que não temos muitas informações anteriores ao surgimento da internet, mas busquei o máximo de informações para auxiliar na criação da linha do tepo abaixo.

A proposta aqui é ter visualmente como observar a evolução das influências e em que gerações cada banda ou ministério está inserido.

Como temos uma quantidade muito grande de bandas, discos e músicas, para conseguir chegar em uma linha do tempo funcional tivemos que definir uma metodologia para identificar quem foram as grandes influências para o seguimento worship.

Abaixo segue a metodologia usada:

1) O cantor(a), banda ou ministério deve ter influenciado por pelo menos 3 anos, ou estar influenciando e ter influenciados em destaque, tendo alcance fora de nichos específicos e alcançando mais de um seguimento cristão;

2) Descartamos aqueles que fizeram sucesso pontualmente, seja com uma única música, ficaram restritos a uma denominação ou país, ou não conseguiram influenciar outros ministérios em destaque não foram incluídos;

3) Ministérios regionais com alcance limitado também não foram incluídos, precisam ter alcance internacional ou nacional (Brasil);

4) Precisam estar dentro do espectro do louvor congregacional ou worship (mesmo que parcialmente);

5) Que tenham atuação relevante de 1970 até 2022;

Segue o quadro com a linha do tempo (clique na imagem para ampliar):

Colaboração na linha do tempo: Ricardo Antoniassi / Wallace Santos da Graça

Quadro com os períodos das influências, para visualizar a linha do tempo use a imagem acima.

Criamos três blocos com a linha do tempo para os clássicos, internacionais e nacionais, recomendamos o uso da imagem para visualizar a linha do tempo, o quadro abaixo só traz as datas.

  Discografia Influênciou *
Principais influências Geração Primeiro Último Início Término
CLASSICOS
Marinho Lutero (homenagem) Congregacional Classico 1529 1546 1529 1546
Cantor Cristão Congregacional Classico 1984 2022 1984 1995
Harpa Cristã Congregacional Classico 1922 2022 1922 1999
Guitarra elétrica em igrejas Inicio aprox. uso em igrejas 1950      
Contrabaixo em igrejas Inicio aprox. uso em igrejas 1950      
Bateria em igrejas Inicio aprox. uso em igrejas 1950      
INTERNACIONAL
Amy Grant Congregacional / Solo 1977 2013 1979 1994
Paul Wilbur Congregacional 1979 2020 1999 2007
Keith Green Congregacional / Solo 1983 2009 1983 1998
Michael W. Smith Congregacional 1983 2021 1985 2001
Ron Kenoly Congregacional 1983 2019 1987 1998
Marcos Witt Congregacional 1986 2014 1990 2003
Integrity Music (Hosanna Music) Congregacional 1987 2022 1991 1998
Hillsong Worship Worship 1ª geração 1988 2022 1998 2018
Delirious? Influência Hillsong United 1993 2010 1997 2008
Passion Worship Congregacional 1997 2020 1998 2012
Hillsong United Worship 2ª geração 1999 2022 2001 2022
PlanetShakers Worship 3ª geração 2000 2022 2011 2022
WOW Worship Congregacional 2001 2004 2001 2004
Bethel Church Worship 2ª geração 2001 2022 2006 2022
Desperation Band Worship 1ª geração 2003 2014 2003 2009
Misty Edwards Worship 2ª geração 2003 2014 2007 2011
Lakewood Music Worship 2ª geração / Soul 2004 2022 2021 2022
Citipointe Worship Worship 2ª geração 2004 2022 2006 2019
Gateway Worship Congregacional 2006 2020 2006 2020
Jesus Culture Worship 2ª geração 2006 2022 2007 2016
Elevation Worship Worship 3ª geração 2007 2022 2015 2022
Vertical Worship Worship 3ª geração 2012 2022 2012 2020
Hillsong Young & Free Worship 2ª geração 2013 2022 2013 2022
NACIONAL
Luiz de Carvalho Congregacional / Solo 1958 2011 1958 1990
Vencedores por Cristo Congregacional / Solo 1968 2016 1975 1998
Grupo Elo Congregacional / Solo 1974 2014 1976 1980
Asaph Borba Congregacional / Solo 1978 2012 1978 1994
Rebanhão Congregacional / Solo 1981 1999 1981 1991
Grupo Logos Congregacional / Solo 1982 2013 1982 1993
Grupo Logos Congregacional / Solo 1982 2007 1982 1996
João Alexandre  Congregacional / Solo 1984 2016 1991 1997
Altos Louvores Congregacional / Solo 1985 2007 1985 1993
Ademar de Campos Congregacional / Solo 1985 2018 1990 1997
Comunidade da Graça Congregacional 1986 1996 1986 1996
Koinonia Congregacional 1988 2008 1988 1993
Comunidade Ev. de Nilópolis Congregacional 1990 2011 1990 1998
Ludmila Ferber Congregacional / Solo 1992 2019 2002 2006
Renascer Praise Congregacional 1993 2021 2000 2006
Daniel Souza / Frutos do Espírito Congregacional 1994 2021 1994 1998
Aline Barros Congregacional / Solo 1995 2022 1995 2004
Bené Gomes Congregacional 1996 2012 1996 1999
David Quinlan Worship 1ª geração 1996 2012 1998 2004
Comunidade da Zona Sul Congregacional / Solo 1996 2017 1998 2002
Paulo César Baruk Congregacional / Solo 1997 2019 2003 2014
Diante do Trono Congregacional 1998 2022 2000 2002
Ronaldo Bezerra Congregacional 1998 2022 1998 2006
Soraya Moraes Worship 1ª geração 1999 2011 2004 2009
Antônio Cirilo / Santa Geração Worship 1ª geração 2000 2018 2000 2003
Filhos do Homem Worship 1ª geração 2000 2018 2002 2005
Ministério Vineyard Worship 1ª geração 2001 2022 2001 2008
Fernandinho Congregacional / Solo 2001 2020 2003 2015
Adoração e Adoradores Congregacional 2003 2012 2003 2008
Apascentar de Louvor Congregacional / Solo 2003 2016 2003 2008
Nívea Soares Worship 2ª geração 2003 2021 2003 2012
Juliano Son / Livres Worship 2ª geração 2005 2020 2005 2009
Rodolfo Abrantes Worship 2ª geração 2006 2022 2006 2010
Thalles Roberto Congregacional / Solo 2009 2021 2009 2011
Anderson Freire Congregacional / Solo 2011 2022 2011 2013
Gabriela Rocha Worship 2ª geração 2012 2020 2017 2020
Morada Worship 3ª geração 2013 2022 2017 2021
Sangue e Cruz Worship 3ª geração 2013 2018 2016 2018
Luma Elpidio Worship 3ª geração 2014 2022 2017 2019
Theo Rubia Worship 3ª geração 2014 2022 2019 2022
André Aquino Worship 3ª geração 2014 2022 2017 2021
Dunamis Worship 3ª geração 2015 2022 2015 2020
Alessandro Vilas Boas Worship 3ª geração 2016 2021 2018 2021
Fhop Music Worship 3ª geração 2016 2022 2018 2022
Gabriel Guedes Worship 3ª geração 2017 2022 2017 2019
Central 3 Worship 3ª geração 2017 2022 2017 2021
Brasa Church Worship 3ª geração 2019 2022 2019 2022

Colaboração na linha do tempo: Ricardo Antoniassi / Wallace Santos da Graça

Conclusão

Entendo que não haverá um consenso a respeito das classificações acima e da precisão dos períodos de influência, muitos ministérios bons ficaram de fora. Foi necessário estabelecer um método com alguns critérios que ajudassem a criar uma visão sintetizada e que fizesse sentido para o entendimento da evolução do worship / louvor congregacional.

Espero que esta consolidação da visão nos ajude a avançar no entendimento de como chegamos no estágio atual, quais foram as grandes influências que moldaram forma como pensamos a respeito de louvor e adoração em nossas comunidades.

Atenção: Caso queira usar este conteúdo (texto e imagens) em trabalhos ou artigos, citar a fonte como Mais Que Adoradores, incluir a URL deste artigo (se for online URL clicável) e o autor: Melkih Washington de Oliveira

Caso tenhamos esquecido de algum ministério, banda ou cantor(a) relevante que atendam a metodologia informada acima neste artigo, nos avise através do e-mail: maisqueadoradores@outlook.com

Fontes de pesquisa para o artigo (Ao entrar no respectivo site, pesquise pelo nome do artista)